Sefaz DF abre licitação para contratar banca de concurso com 120 vagas de auditor fiscal

A remuneração inicial da carreira é de R$ 14.970

Publicação: 12/09/2018
Última visualização: 14/11/2018 - 03:14



Mais um passo foi dado rumo ao próximo concurso da Secretaria de Fazenda do Distrito Federal (Sefaz/DF). Foi publicado nesta quarta-feira (12/9) o aviso de licitação para a contratação de empresa especializada em processos de seleção de recursos humanos a fim de realizar concurso público para provimento de vagas no cargo de auditor fiscal da Receita. 

De acordo com o documento, o cadastramento ocorre a partir desta quarta-feira e a abertura das propostas será no dia 25 de setembro, por meio do site www.comprasgovernamentais.gov.br.

Serão oferecidas 120 vagas, sendo 40 imediatas e outras 80 para formação de cadastro de reserva. Poderão concorrer candidatos com nível superior em qualquer área de formação. A remuneração inicial da carreira é de R$ 14.970. O edital deve sair até outubro.

Leia mais: Veja como garantir uma vaga de auditor fiscal da Secretaria de Fazenda do DF

Divulgação

Publicação no Diário Oficial do DF de quarta-feira (12/9)

A última seleção para o cargo de auditor da Sefaz/DF aconteceu há 16 anos, em 2001. O concurso foi de responsabilidade da Fundação Carlos Chagas (FCC). O edital abriu 200 vagas imediatas e também formou cadastro reserva. Na época, a remuneração inicial foi de R$ 3.553,07. Os candidatos foram testados apenas por meio de provas objetivas de conhecimentos gerais e específicos. 

Em 2010, um edital chegou a ser publicado com 50 vagas e cadastro reserva, organizado pela Fundação Universa. O certame, porém, foi cancelado por conta da aprovação de um projeto pela Câmara Legislativa, que unificou os cargos de auditor, agente fiscal e fiscal tributário em um único cargo de auditor-fiscal da Receita do DF. Mais de 8 mil pessoas tinham se inscrito na seleção que contava com salário de R$ 16 mil.

Os candidatos do último concurso da Sefaz DF precisaram realizar prova objetiva de conhecimentos gerais onde foi cobrado português, matemática, contabilidade comercial, contabilidade pública, noções de direito constitucional, noções de direito administrativo, noções de direito comercial, noções de direito penal e noções de informática. Em conhecimentos específicos foi necessário estudar direito tributário e legislação tributária do Distrito Federal.
Fonte: Correio Web